Make your own free website on Tripod.com

CasadosPeriquitos

Home

Contate-me | Periquito | Sexo,Cor,Idade e como escolher? | Transportando-o até o novo lar | As primeiras horas em Casa | Habituando o periquito a nossa mão | Habituando o periquito ao banho | Identificando macho e fêmea | O cortejo e o acasalamento | O ninho | O primeiro ovo | O início da Incubação
O cortejo e o acasalamento

O cortejo e o acasalamento


Depois de muito procurar e analisar seu companheiro, o periquito finalmente escolhe aquele que lhe parece mais apropriado para enfim formar uma família e perpetuar a espécie. A escolha é séria, e a responsabilidade também, afinal o casal será o mesmo durante toda a vida, e a fidelidade é sempre mantida, pois, ter de escolher outro depois de ter encontrado o ideal é meio complicado.
O período de cortejo (também chamado de "namoro") é um dos mais tranquilo e doce na vida dos periquitos. O casal passa a maior parte do dia juntos, sempre trocando carinhos, beijando-se, alimentando-se, coçando-se, e diferente de antes, quando os pássaros apenas "testavam" um ao outro, numa relação ainda distante, agora não, sempre que um se afasta, o outro o procura, as carícias são mais intensas e confiantes, nota-se nitidamente que o casal gosta de estar junto. A corte em si, é apenas o último passo antes do acasalamento, é quando o macho tentará convencer a fêmea a acasalar.

A Corte e o Acasalamento

O macho permanece sempre próximo à fêmea e afasta qualquer um que possa vir a ser um rival. Alimenta-a durante grande parte do dia, e esta sempre aceita os carinhos do parceiro. Ao beijar sua companheira o macho eriça as penas da garganta e testa, chilreia baixinho próximo a ela, como que tentando impressioná-la, dá leves bicadinhas em seu bico e sobe e desce a cabecinha rapidamente num movimento frenético e passando a trinar alto na tentativa de convencer a fêmea ao acasalamento, as pupilas dos olhos diminuem de tamanho tornando-se um pequeno ponto, revelando a excitação do macho, ela por sua vez sempre recusa as primeiras investidas, e como não consegue convencê-la, o macho anda de um lado ao outro do puleiro desesperado, e ao controlar-se volta numa nova investida repetindo o ato, geralmente a fêmea demora um pouco para aceitar a corte do macho, este chega a pular para todos os puleiro numa tentativa de acalmar-se, mas sempre volta saltitante para tentar convencê-la mais uma vez. A corte do macho torna-se cada vez mais insistente e a fêmea impõe cada vez menos distância, e num jogo de excitação sexual, o macho toca a cauda da companheira e tenta por seu pé sobre as costas da fêmea, e esta entendendo a intenção de seu parceiro reprime-o, mas nunca com intenção de machucá-lo. O cortejo torna-se mais convincente e a fêmea finalmente concorda com o acasalamento, e agora será ela quem irá propor o acasalamento, provocando o macho com movimentos excitantes, abaixando-se no puleiro,
levantando bem a cabeça e a cauda, o macho então compreende a intenção da fêmea, e cuidadosamente põe os pés sobre suas costas, suspendendo um pouco os dedos para retrair as garras e não machucar a fêmea, com o bico acaricia a cabeça da companheira e abre as asas como que abraçando a fêmea, os retos dos pássaros se tocam e o sêmen do macho entra no oviduto da fêmea